Da LCI ao PSR e mais além: a Secção Portuguesa da IV Internacional

Há 45 anos, Portugal era um país pobre onde agonizava um regime fascista apoiado pelo grande capital monopolista, nacional e estrangeiro.

O regime, isolado e desmascarado no plano internacional, apesar da repressão, não conseguia evitar a crescente resistência em várias frentes, nomeadamente na luta contra a guerra colonial. Enquanto de fora chegavam os exemplos da revolução cubana, do Maio francês, da contestação à guerra do Vietname ou da Primavera de Praga, por cá, ao mesmo tempo que se intensificavam as lutas pelos direitos do trabalho, nas universidades e até liceus, estudantes contestavam o fascismo e a guerra.

No rescaldo da crise académica de 69 desenvolve-se uma corrente revolucionária em alternativa às correntes então dominantes na esquerda estudantil. Com contactos com organizações trotskistas em França esta estabelece relações com a LCR (secção francesa da 4ª Internacional). São criados os Grupos de Acção Comunista em Lisboa, Porto e Coimbra, que iniciaram actividade de agitação clandestina e centraram a sua intervenção na luta anti-colonial, quer junto do movimento estudantil, quer do operariado fabril.

Em 18 de Dezembro de 1973 estes três Grupos de Acção Comunista de âmbito regional reúnem-se na Conferência de Fundação da Liga Comunista Internacionalista (LCI), em São Bernardino (Peniche) com a presença de dois delegados da 4ª Internacional, Michael Löwy e Paco Robs.

Após o 25 de Abril a LCI inscreve-se como partido político e concorre a eleições.

Em 1978, a LCI funde-se com o Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT), dando origem ao Partido Socialista Revolucionário (PSR). A fusão dura pouco e em 1979 dá-se a cisão com o antigo PRT, ficando no PSR grande parte da continuidade da LCI.

Segue-se um período de recuo organizativo ganhando a organização um novo fôlego a partir de meados da década de 80 quando se abre à colaboração de independentes nas primeiras eleições para o Parlamento Europeu e através do Jornal Combate. É também neste período do final da década de 80 que o bar do PSR na Rua da Palma, conhecido por “Palmeiras”, se torna referência fundamental para um movimento de juventude radical associada ao Rock e à contestação ao serviço militar obrigatório.

A década de 90 é marcada por grande actividade. O PSR cria o Grupo de Trabalho Homossexual e apresenta o seu manifesto “A ousadia de quem sabe o que quer”, ganha protagonismo em vários movimentos, sindical, estudantil, lgbt, feminista e anti-racista e em várias campanhas, anti-militaristas, contra a implementação de propinas no ensino universitário público, pela legalização da IVG, e descriminalização do consumo de drogas. É neste período que o PSR organiza o protesto contra as presenças de Pinochet e Le Pen, participa na coligação de esquerda em Lisboa, elegendo três deputados municipais e, nas eleições autárquicas seguintes, faz uma coligação com a Política XXI em Lisboa e Porto, as “Esquerdas Unidas”, elegendo um deputado municipal na capital. Concorrendo sozinho elege também um deputado municipal em Amarante.

No final da década, do século e do milénio, o XI Congresso do PSR,decide por maioria, a participação no Bloco de Esquerda, abdicando de qualquer intervenção pública própria, estabelecendo-se dois anos depois como corrente interna dentro do Bloco. Em 2004, o XIV Congresso decide a transformação do partido em associação política. Em 2013, no XIX Congresso, a APSR decide, por maioria, o fim da atividade da associação, convidando os associados a integrarem a nova corrente bloquista “Socialismo”. Uma minoria,que já se tinha apresentado com uma linha política autónoma em Congressos anteriores, votou contra a proposta de extinção da APSR.

Hoje em dia, maioria e minoria saídas do XIX Congresso participam autonomamente na Quarta Internacional.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s